Acredite, todos vão crescer juntos! Entenda melhor sobre inteligência coletiva

6 minutos para ler

Os esportes praticados em equipe são um exemplo claro do que significa a inteligência coletiva. Durante as partidas, os atletas seguem regras, mas têm a liberdade de usar suas habilidades para ganhar o jogo. Além disso, há cooperação entre todos — e quando alguém apresenta uma estratégia eficiente, a equipe se esforça em aplicá-la.

Já imaginou se houvesse esse mesmo espírito dentro de uma empresa? Não se trata de algo impossível! A seguir, explicaremos como a inteligência coletiva estimula a parceria entre os colaboradores e de que forma implantá-la em uma organização. Acompanhe!

O que é inteligência coletiva?

Muitos acreditam que a inteligência coletiva envolve apenas o esforço conjunto de todos em prol de um objetivo. Para exemplificar, são feitas analogias com as abelhas e as formigas. É verdade que esses insetos trabalham unidos para construir e manter suas colônias, porém não podem ser apontados como tendo intelectualidade comunitária. Mas como assim?

A razão é simples: todos têm tarefas padronizadas, tanto na colmeia quanto no formigueiro. Sendo assim, cumprem serviços repetitivos que não oferecem margem para a inovação e a criatividade (e nem poderia ser diferente, afinal estamos falando de insetos instintivos).

Por outro lado, a inteligência coletiva envolve a utilização de competências, habilidades e intelecto dos colaboradores para atingir as estratégias da empresa. Quando essa prática existe no ambiente interno do negócio, os membros das equipes são alocados em posições compatíveis com seus perfis comportamentais.

Além disso, é possível montar times com colaboradores de competências distintas, mas que se complementam para alcançar a excelência nos serviços entregues. Portanto, outro benefício da intelectualidade comunitária é a participação colaborativa.

Esse conceito está relacionado a integrar toda a equipe para a construção de estratégias e o desenvolvimento de projetos corporativos. Como consequência, todos crescem junto ao negócio e o espírito de pertencimento permeia o ambiente interno.

Como implantar esse conceito em uma empresa?

Quando falamos em cultura da intelectualidade interna, é impossível não nos lembrarmos do escritor Pierre Lévy (famoso por suas ideias sobre a filosofia da informação). No livro “A inteligência coletiva”, ele aborda a importância da coordenação das inteligências em tempo real, por meio da implantação de processos estratégicos. Vejamos alguns deles a seguir.

Integre informações e interações

Não há como otimizar os resultados do time sem um fluxo constante de interações e informações. Como citamos no início do artigo, esse é um dos fatores que levam equipes esportivas ao topo do pódio. De modo similar, a empresa precisa viabilizar meios de comunicação que integrem e disponibilizem dados e diálogos.

Atualmente, o conceito omnichannel (interligação de diferentes canais de comunicação) tem facilitado a interação dos colaboradores. Dessa forma, a partir da rede social corporativa ou de uma plataforma colaborativa, a equipe envia e recebe informações sobre assuntos internos, criando um “solo fértil” para a consolidação da inteligência coletiva.

Estimule ações coletivas

O espírito de cooperação não se desenvolve sem esforço e práticas bem direcionadas. Uma tecnologia que ajuda a fomentar a parceria entre os colaboradores é o crowdsourcing. Essa aplicação é baseada em um modelo de produção que usa a inteligência e os conhecimentos do time para resolver desafios, criar soluções e estabelecer novos tipos de processos.

Como resultado, há a otimização das estratégias, o que permite um alcance mais rápido do objetivo da empresa. Consolida-se também a gestão da inovação — que, entre outras vantagens, faz da organização um “celeiro” de boas ideias.

Com o amadurecimento do crowdsourcing interno, a instituição pode abrir as portas para a inteligência externa por meio de hackathons (maratona da inovação) ou tecnologias. Sendo assim, o alcance de patamares mais elevados no mundo corporativo será sustentado por talentos profissionais de dentro e fora da empresa.

Desenvolva a liderança

Os líderes são os principais incentivadores da inteligência coletiva, portanto precisam se abrir para as sugestões e ideias da sua equipe de colaboradores. Para isso, é necessário ter empatia e se preocupar com a opinião de todos, demonstrando esse interesse nas reuniões e tarefas do cotidiano.

Algumas organizações implantaram dois conceitos muito eficientes: a política de escuta e o feedback reverso, sendo que ambos envolvem a relação do líder com o subordinado. Nesse caso, porém, o gestor tem um papel passivo, pois recebe conselhos e orientações dos membros do time. A consequência é a inserção de ideias inteligentes nas demandas do setor.

Ofereça novas experiências

Outra maneira de implantar a inteligência coletiva é oferecendo experiências agradáveis para os colaboradores. A abordagem chamada employee experience, por exemplo, visa atingir tal objetivo. Ao fazer isso, a empresa aumenta o engajamento do time, o que é fundamental para estimular a intelectualidade.

Um modo estratégico de proporcionar boas experiências é inserindo atividades experienciais no programa de treinamento da companhia. Assim, o time vivencia aprendizados empresariais de forma divertida e emocionante.

Durante as aulas, o pensamento estratégico é estimulado (e a inteligência coletiva, exercida pelo time na busca dos objetivos apontados). Seria como gravar as lições no coração dos colaboradores em vez de usar o papel de um caderno.

Como o rafting ajuda na inteligência coletiva?

Uma das atividades experienciais que incentivam o intelecto da equipe é o rafting. Nesse esporte, cinco a oito pessoas remam juntas em um bote inflável, superando os obstáculos naturais do percurso.

Trata-se de uma atividade divertida, empolgante e cheia de emoção, procurada por pessoas que desejam cuidar do físico e amenizar o estresse do dia a dia. Adaptado aos treinamentos corporativos, o rafting ajuda no desenvolvimento do pensamento de equipe e no fortalecimento de habilidades ou competências relacionadas à liderança.

No fim, todos os participantes aprendem uma lição importante que podem aplicar na vida corporativa. Porém, o principal ensinamento é que juntos se torna possível derrubar barreiras e atingir metas que são inalcançáveis quando cada um age sozinho.

A grande verdade é que o humanos foram criados para viver em sociedade e contar com o apoio do outro. Essa é a base da inteligência coletiva e um dos motivos que levam o conceito para o futuro do mundo empresarial.

O que achou do nosso artigo? Conseguiu entender como a inteligência coletiva ajuda no crescimento das organizações? Então, conheça atividades incríveis que estimulam esse conceito na sua equipe!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-