Entenda neste post como medir a satisfação dos seus colaboradores e a importância dessa medição

4 minutos para ler

A produtividade organizacional está diretamente relacionada ao nível de bem-estar no trabalho, por isso é tão importante medir satisfação dos colaboradores em uma empresa.

Trabalhadores satisfeitos são mais engajados na busca por resultados positivos, tanto para si quanto para o negócio. Participam mais ativamente das atividades propostas, são mais colaborativos e até menos ociosos.

Essa qualidade do ambiente laboral pode ser verificada pela prevalência de emoções positivas entre os profissionais e a percepção de que, naquela empresa, é possível expressar e desenvolver habilidades em busca do alcance de objetivos e metas de vida.

Entre os fatores que mantém um funcionário satisfeito, destacam-se uma boa remuneração, a eminência de uma promoção, reconhecimento, condições favoráveis de trabalho — ferramentas apropriadas, mobiliário bem cuidado, espaço para interação social etc., boa relação com colegas e subordinados, entre outros.

Se você concorda com a importância de medir satisfação dos seus colaboradores e quer descobrir quais métodos podem ser usados, continue a leitura deste post!

Escala de satisfação do trabalho (EST)

Essa ferramenta avalia o grau de contentamento do colaborador em relação a cinco dimensões estudadas no ambiente de trabalho: colegas, remuneração, chefia, natureza do trabalho e promoções.

Escala de envolvimento com o trabalho (EET)

O método avalia o nível de envolvimento do profissional com o seu trabalho, seu comprometimento com resultados e como as atividades desenvolvidas promovem maior satisfação.

Escala de comprometimento organizacional afetivo (ECOA)

Todo funcionário estabelece um vínculo afetivo com a empresa. Essa ferramenta analisa a intensidade com que um colaborador nutre sentimentos positivos ou negativos em relação a esse fato.

NPS

O Net Promoter Score é uma métrica simples, baseada na seguinte pergunta: “em uma escala de 0 a 10, onde zero significa “de jeito nenhum” e 10 “com toda a certeza”, qual seria a indicação desse ambiente de trabalho para um amigo ou colega?”.

Para garantir a eficiência do método, é preciso responder a pergunta anonimamente, assim, as pessoas conseguem ser mais sinceras em suas opiniões.

Turnover

O turnover mede a rotatividade de profissionais na empresa. A retenção de talentos é o cenário ideal, enquanto um ciclo curto de manutenção significa baixo índice de satisfação.

Para apurar sua taxa, basta dividir o total de desligamentos mensais pelo total de funcionários da empresa e multiplicar o resultado por 100.

Encontrar um profissional que se destaca é uma tarefa difícil, mantê-lo na carteira de talentos é menos custoso que promover diversos processos seletivos. Logo, é preciso oferecer requisitos mínimos de qualidade ao colaborador.

Taxa de absenteísmo

Mensura a quantidade de faltas dos empregados. É interessante para avaliar a satisfação dos funcionários porque os mais insatisfeitos tendem a ser mais ausentes.

Para apurar esse fator, é preciso multiplicar o quadrado do número de faltas (F) pelo período faltoso (D), na seguinte fórmula:

B = F² x D

Suponhamos que o funcionário tenha apenas uma falta, que durou um período de 10 dias. Logo, sua taxa de absenteísmo será de 1 x 1 x 10 = 10 pontos.

Se o resultado ultrapassar 250 pontos, o nível de comprometimento do colaborador precisa ser revisto.

Medir satisfação no trabalho significa avaliar o desempenho dos funcionários no todo, de forma a estabelecer melhores condições para que a rotatividade diminua e os resultados com o aumento da produtividade sejam observados.

Agora que você sabe como medir satisfação na sua empresa, que tal aprender também como oferecer um treinamento diferenciado para os seus colaboradores?

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-